segunda-feira, 28 de março de 2011

Love in the rain

  Estava quase a chegar a casa, mas a chuva constante fazia com que eu me movesse mais devagar do que o normal para não escorregar no chão. Já quase conseguia sentir o calor dos lençóis da minha cama e o conforto da roupa seca até que algo fez com que eu quase parasse.
  Uma solitária mulher idosa caminhava lentamente por debaixo da chuva fria com os olhos fixos no chão. O meu coração caiu-me aos pés com esta visão. Fez-me sentir mal comigo mesmo. Se eu tivesse um chapéu de chuva e não apenas a roupa a cobrir-me o corpo, provavelmente iria dar-lhe o chapéu, nem me importava que nunca mais a visse e que ela ficasse com ele para sempre, desde que saísse da chuva como eu estava.
  Estava quase a perder a senhora idosa de vista quando de repente apareceu um homem também idoso, que tinha  acabado de virar a esquina, com um pequeno chapéu de chuva preto. Para meu espanto o homem esticou o braço e tapou a mulher com o chapéu. Ela olhou para cima tirando os olhos do chão e fez um ligeiro sorriso, encostando-se ligeiramente ao homem.
  Logo deduzi que estas duas pessoas seriam marido e mulher. Se assim o fora, não faço ideia porque é que a mulher estava sozinha em primeiro lugar, secalhar esta saiu primeiro de casa que o marido e esquecera-se do chapeu de chuva.
   Mas o simples gesto que o senhor teve de esticar o braço para tapar a mulher aqueceu-me o coração e fez-me esquecer o frio que sentia devido á chuva. Fez-me acreditar que ainda existe amor no mundo e que ele pode durar durante muito tempo...

sábado, 26 de março de 2011

O que é que eu gosto?

Gosto de ver a chuva a cair.
Consigo passar horas a olhar para ela pela janela.

Gosto de acordar bastante cedo.
Não consigo ficar a dormir muito tempo.

Gosto de ouvir a mesma música vezes sem conta.
Até começar a fartar-me dela.

Gosto de rir mesmo muito.
Até ficar a chorar de tanto rir.

Gosto de sentir o frio matinal todos os dias.
Faz me despertar logo.

Gosto imenso de ler.
Queria de ter uma biblioteca em casa só para mim.

Gosto de ver filmes antigos e ouvir músicas antigas.
Ás vezes sinto que nasci na década errada.

Adoro aquele momento quando vejo alguém que já não via a muito tempo.
Talvez seja essa uma das coisas que mais gosto na vida...

*Peço desculpa pela falta de originalidade, não tenho andado com cabeça para escrever nada melhor...

quarta-feira, 23 de março de 2011

.



Prometeste que nada iria mudar...



Então




Porque é que tudo mudou

terça-feira, 22 de março de 2011

Miss You

I miss you
I miss your sweet embrace
Every time you're away
I just want to leave this place

Now you hardly look at me
Hiding the shame under your hands
While a solitary tear
On your lap slowly lands

Dont ever leave again
Like the sun does with the rain
Dont ever leave my side
Or I'll feel like I've died

sexta-feira, 18 de março de 2011

Hello Again

Quem me conhece, sabe que uma das coisas que eu prezo acima de tudo na vida são os meus amigos, mas infelizmente não os consigo manter a todos para sempre e existem sempre aqueles com quem perco o contacto e que agora quase nem falo e raramente vejo...
O que vale é que alguns deles acabam sempre por voltar a entrar na minha vida de uma maneira estupida qualquer, como por exemplo encontrando-os no meio da rua.
Quando isso aconteçe é que eu consigo ver quem são os verdadeiros amigos.
Os verdadeiros amigos não se limitam a passar por nós com um simples "ola", eles correm  na nossa direcção e envolvem-nos num abraço apertado. Podem passar semanas ou meses e conseguimos falar como se tivessemos acabado de nos ver ainda umas horas antes...
Esses sim são os verdadeiros amigos e quando voltam a entrar assim na minha vida podem querer que nunca mais vão sair.

terça-feira, 15 de março de 2011

Old days

Lembro-me de um rapaz que conheci quando ainda era pequeno.
Lembro-me dele sempre a perguntar-me se eu queria andar de bicicleta ou á bola queria jogar.
Recordo-me disso como se o dia de ontem estivesse a recontar...
Passaram-se anos sem noticias desse rapaz, até que um ano nos voltamos a reencontrar.
Esse dia já foi á quase dois anos atrás.
Esse rapaz já muito me ajudou, mais do que ele pode imaginar.
Tenho o orgulho, de agora, um dos meus melhores amigos puder-lhe chamar.

Parabéns R.


sábado, 12 de março de 2011

Just a friend

Estes pensamentos invadem-me o espirito
Como já me habituei que o fizessem
Os sentimentos de culpa e de ódio
Por sentir o que sinto...

Sei que nunca te vou ter
Sei que tudo tenho que abandonar
Sei que tenho de te esquecer
Sei que nunca me vais amar

O quanto eu te amei (amo)
Em breve nada irá valer
Pois aos teus olhos, apenas
Um amigo sempre irei ser

terça-feira, 8 de março de 2011

Woman

Quem seriamos nós sem as mulheres? Ninguém!
Elas são os seres vivos mais magníficos á face da Terra para mim.
(E eu não estou a dizer isto só por dizer)
São elas que carregam connosco durante nove meses até nos darem á luz, só esse facto deveria fazer com que tivéssemos o maior dos respeitos por elas!
Não entendo como é que nos dias que correm as mulheres ainda são desrespeitadas e não têm os mesmos direitos que os homens...
Temos de fazer algo, as mulheres merecem todo o nosso amor e temos de o mostrar, não só hoje mas sim todos os dias!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Forget

How can I forget someone
Who gave me so much to remember
How can I forget the only one
Who really cared

Asking me to forget
Is just impossible
But asking me to remember
Can be just as bad

I've searched everywhere
For an answer to find
But you're still traped
Right inside my mind

sábado, 5 de março de 2011

Worst days

Há dias em que me sinto como uma autêntica porcaria, só para não dizer outra coisa...
Hoje parece ser um daqueles dias, só me apetece responder mal a tudo e a todos para puder ficar sozinho no meu canto...
Sinto-me mal comigo mesmo, não sei explicar porquê e todos os que aparecem á minha frente, especialmente os meus amigos quando me querem ajudar, acabam sempre por levar por tabela...
A sério que não os quero magoar eu sei que eles só me querem ajudar e ver feliz, mas sinto me tão impotente que parece que ninguém me pode ajudar...
Ás vezes pergunto-me se sou o único a sentir-se assim, gostava que assim o fosse, não quero pensar que existam mais pessoas a sofrer desta maneira...

quinta-feira, 3 de março de 2011

Music

Por vezes dou por mim a murmurar as letras de uma música que estou a ouvir.
Logo que o faço eu paro, com receio do que as pessoas á minha volta possam pensar de mim. 
Mas depois penso porquê? De certeza que elas também já o fizeram em qualquer ponto da sua vida e se calhar ainda o fazem!
A música foi feita para ser ouvida, cantada, tocada e sentida pelo nosso coração, então porquê negar a vontade que tenho de desatar a cantar sempre que oiço uma música que adoro...
Vai ser um preconceito de que só os maluquinhos é que andam por ai a cantar para eles mesmos? Não me parece!
Vou continuar a cantar e fingir que estou a tocar um instrumento musical invisível sempre que estiver a desfrutar de uma música e aconselho todos a fazer o mesmo, é uma sensação muito libertadora.